CIDADES | Fonte: Folha de Pernambuco

Intestino teve de ser removido

Um ano e meio após um transplante de intestino realizado nos Estados Unidos, o pernambucano Weverton Fagner de Medeiros, 20 anos, morador de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata do Estado, teve o órgão removido quarta-feira, após quadro infeccioso. A notícia foi dada pelo pai do garoto, Ubiratan Gomes, em página no Facebook criada para dar apoio ao caso. A infecção teria sido detectada há duas semanas. Weverton está em coma induzido no Hospital das Clínicas de São Paulo, Sudeste do País.

“Devido a complicações da rejeição, o órgão, que não estava mais com funcionalidade, foi retirado. Nosso guerreiro nesse momento está de volta à UTI para se recuperar. A situação ainda é muito delicada, mas cremos na sua recuperação para recomeçarmos uma nova luta”, escreveu Ubiratan.

O jovem havia retornado a Pernambuco há dois meses. Após os primeiros sintomas, chegou a ser levado a um hospital particular no Recife, mas foi transferido para São Paulo, onde a infecção avançou para o pulmão.

Em julho de 2015, Weverton foi diagnosticado com doença rara, a síndrome do intestino curto, após apresentar sintomas de apendicite. Ele chegou a ser operado, mas os médicos descobriram uma trombose intestinal, que causou a retirada de 90% do órgão.

O caso ganhou repercussão a partir de campanha da família nas redes sociais para custear o tratamento de R$ 3,5 milhões. Em 2016, após conseguir na Justiça recursos junto ao governo federal, seguiu para Miami, nos EUA, onde passou 18 meses, 8 deles no hospital. O procedimento, que não é realizado no Brasil, foi feito no Jackson Memorial Hospital, referência em transplantes múltiplos, por um especialista brasileiro.

Em junho, Weverton foi recebido com festa por parentes e amigos em Vitória. Agora, a família reúne forças para recomeçar. “Esperamos superar essa fase”, disse o pai.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.