HR e HGV | Fonte: Assessoria de Comunicação do Cremepe

Cirurgia vascular é tema de reunião no MPPE

mppe - cirur vasc

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) convocou o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco para reunião sobre as cirurgias vasculares no Estado. A demanda só tem aumentado e os serviços – HR e HGV – que atendem estes pacientes não estão dando conta da quantidade de procedimentos. Também participaram da reunião os diretores do Hospital da Restauração e do Hospital Getúlio Vargas, além da secretaria de Saúde de Pernambuco e a Central de Regulação de leitos.

O Hospital Getúlio Vargas é referência na especialidade, mas está superlotado. Além de absorver as demandas de trauma não consegue mais atender a vascular por falta de maquinário, insumos e leitos. A demanda aumentou, mas o serviço não acompanhou esta evolução. De acordo com o diretor do HGV este ano houve um aumento de 32% de todas as cirurgias em relação ao ano passado. Dessas, 90% são isquemias críticas.  “Em uma pesquisa recente, estima- se que o número de isquemias críticas em Pernambuco vai de 4700 a 4900 pacientes por ano”, identificou o chefe da clínica de vascular do hospital.

Já o Hospital da restauração, a maior emergência do estado que atende 100% de neurocirurgias do Estado também encontra uma série de dificuldades no atendimento da cirurgia vascular. De acordo com o diretor do Hospital da Restauração, Miguel Arcanjo, a hemodinâmica da emergência realiza cerca de 60 procedimentos por dia, mesmo assim, ainda há de 50 a 60 pacientes nos corredores aguardando tratamento de isquemia. Também afirmou que o estoque do material utilizado nestas cirurgias dura pouco.

Para tentar amenizar a situação, o diretor da Central de Regulação de Leitos, Tiago Azevedo, informou que será ajustada a distribuição de vagas do RHP para as duas emergências (HR e HGV) e que com a chegada de mais um aparelho de hemodinâmica no Procape será definido horário fixo para atendimento vascular, atualmente é só para demanda cardiológica. Após a explanação dos profissionais que estão na ponta do Sistema, a secretária executiva de saúde, Cristina Mota, disse que entre 2014 e 2017 foram nomeados 21 cirurgiões, mas confirma a necessidade de investimentos na área.

Por fim, ficou deliberado que os médicos vasculares que estiveram presentes na reunião irão levar à Sociedade Pernambucana de Cirurgia Vascular a proposta de realização de um protocolo clínico de avaliação de profissional de cirurgia vascular; que o secretário de Saúde levará ao CONASS proposta para que o Ministério da Saúde modifique o critério de habilitação de hospital de alta complexidade em cirurgia; também será oficiado ao Hospital das Clinicas sobre a possibilidade de ampliação de mais quatro leitos de cirurgia vascular e, finalmente, a SES ficou de analisar a possibilidade de ampliar os leitos no HBL de cirurgia vascular com acesso regulado de pacientes procedentes do HR e HGV.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings