CIDADES | Fonte: JORNAL DO COMMERCIO

Vacina contra a gripe antes da campanha

IMUNIZAÇÃO Proteção antes do dia 23 custa de R$ 100 a R$ 130

Prevista para o dia 16 de abril, a campanha nacional de vacinação contra a gripe só começará no dia 23. Mas quem não quiser esperar pela imunização ou não fizer parte do grupo de risco pode encontrar o imunizante em clínicas particulares do Estado. O preço varia entre R$ 100 e R$ 130, para as opções trivalente ou tetravalente (também conhecida como quadravalente).

Na rede pública, o imunizante é distribuído para os grupos considerados de risco: idosos; crianças de 6 meses a menores de 5 anos; gestantes; puérperas (mulheres que tiveram filhos a até 45 dias); trabalhadores de saúde; professores; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

O adiamento da campanha do Ministério da Saúde aumentou a demanda nas clínicas particulares. “A procura tem sido grande, devido à quantidade de pessoas acometidas pelas viroses e ao atraso do governo”, afirmou o pneumologista Antônio Aguiar Filho, da Vaccine. Na clínica, os valores variam de R$ 110 (trivalente) a R$ 130 (tetravalente). O imunizante também está disponível na Cidrim Vacinas, por R$ 120 (tetravalente), e na Imunomax, onde a vacina tetravalente custa R$ 100 à vista e R$ 110 a prazo.

Grávida de 28 semanas, a pedagoga Anabel Nascimento, 32 anos, buscou o imunizante na rede particular. “Como estou grávida, optei pela mais completa (tetravalente), que só tem nas clínicas particulares.”

O pneumologista alerta para a necessidade de tomar a dose anual. “Há uma modificação todos os anos, para combater os vírus que estão em circulação”, registra. Ambos os tipos protegem contra os vírus da H1N1, H3N2 e a linhagem B Yamagata. A tetravalente possui um quarto tipo de vírus na composição, o B Victoria, e, por isso, é considerada mais completa. É possível tomar a dose, inclusive, estando gripado, desde que o paciente não apresente febre.

Os três tipos de vírus já foram identificados no Estado. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), até 17 de março, foi confirmado um caso de influenza B, um de H1N1 e um de H3N2. “O cenário é melhor que o do ano passado, que já foi tranquilo, em comparação a anos anteriores, como 2015. Mas a tranquilidade não deve servir para que a gente abaixe a guarda”, destaca o diretor-geral de Controle de Doenças Transmissíveis da SES, George Dimech.

Gostou ? Então deixe um comentário abaixo.

Clippings